BTA Aditivos - Add Innovation
BTA Aditivos - Add Innovation
PT EN ES
BTA Aditivos - Add Innovation
PT EN ES
Abr 14 2020

6 dicas para uma fabricação eficiente de ração para nutrição animal

A ração oferecida aos animais, tanto de estimação como de produção, é muito importante para sua vitalidade e desempenho. Por isso, alguns aspectos devem ser observados para garantir a eficiência na qualidade do alimento produzido.

O segmento de produção de rações para todas as espécies vem crescendo a cada ano. Assim como os animais de estimação, que tem obtido um crescimento notável, a produção para as espécies como aves, suínos, bovinos e peixes tambem tem apresentado um desempenho dentro do esperado para seus mercados.

Estas áreas exigem grande atenção visando sua eficiência e garantia de qualidade do alimento produzido. Sendo assim, alguns aspectos devem ser observados como:

  • Equipamentos utilizados para fabricação;
  • Instalações;
  • Controle de qualidade de matérias-primas, entre outros.

Confira seis dicas consideradas mais importantes, no aspecto de novas tecnologias, ingredientes e categorias de produto acabado.

1 - Correta instalação e manutenção de equipamentos

Para uma fabricação eficiente de ração para nutrição animal, é preciso ter uma instalação que possa abrigar os equipamentos, matérias-primas, embalagens, laboratórios, setor administrativo, balança e produto final. Também deve-se considerar um local para estocagem de grãos e farelos, que em muitos casos, é um periférico da fábrica. Importante lembrar também das áreas de apoio como manutenção, geração de vapor (ração peletizada e extrusada), além de outros que se imprescidíveis para cada planta. Além disso, as instalações precisam ser fechadas e controladas.

É importante que os equipamentos sejam dimensionados corretamente, para que nenhum deles atue como gargalo, ou seja, limite a produção do outro. O ideal é buscar profissionais competentes para orientar sobre a montagem do projeto estrutural e da linha de produção para que não se torne um problema no momento da fabricação e da verificação das características do produto acabado.

2 – Avaliação do controle de qualidade de matérias-primas e produto acabado

A qualidade das matérias-primas são imprescindíveis para obter os atributos de excelência do produto. A máxima que diz nunca haverá um resultado de qualidade se as matérias-primas usadas também não forem assim, é verdadeira.

Entretanto, para obter a excelência no produto final, é importante haver padrões de qualidade para a compra de tudo o que será utilizado na formulação das rações. Além disso, é necessário analisar, se possível, todas as matérias-primas que entram na planta fabril.

Também deve-se lembrar que em cada etapa do processo é preciso checar se tudo está ocorrendo conforme os procedimentos de industrialização. Por exemplo: se a moagem está de acordo com o esperado, ou seja, com a granulometria dentro dos padrões, se a mistura está homogênea, a dosagem em conformidade, se o pellet está com boa qualidade, neste caso, com a ração íntegra e sem farelos, se o resfriamento está adequado e o armazenamento apropriado, só para citar alguns.

3 – Acompanhamento do controle de processo

Na produção de uma ração, independente de ser peletizada ou extrusada, há vários processos que devem ser regularmente ajustados e controlados. Dentre eles:

  • Recebimento e armazenamento de matérias-primas;
  • Moagem;
  • Dosagem;
  • Mistura;
  • Peletização ou extrusão;
  • Esfriamento;
  • Armazenagem;
  • Expedição.

As Instruções de Trabalho (IT) são necessárias para cada etapa. Se não houver controle nestas etapas, não há como garantir um produto acabado de qualidade. O mesmo acontece se não ocorrer uma moagem com DGM (Diâmetro Geométrico Médio) adequada para cada espécie ou um Coeficiente de Mistura (CV) maior de 5% e inferior a 7%. O êxito na atividade fica comprometido, podendo gerar uma ração de características inferiores a média aceitável.

4 – Obtenção dos níveis nutricionais adequados

Toda a ração precisa obter requisitos nutricionais para cada fase e a espécie que se deseja  alimentar. Para que isto ocorra, é importante ter formulações obtidas de sistemas de otimização, que vão calcular as necessidades nutricionais da espécie e fase, considerando as matérias-primas disponíveis, bem como, o seu preço. Desta forma, obtém-se a otimização da fórmula. Geralmente, este processo é feito pelo nutricionista, que tem o conhecimento para executar esta tarefa. É imperativo estar bem assessorado nesta área, que é fundamental para uma dieta balanceada, com um custo menor.

5 – Aplicação das Boas Práticas de Fabricação (BPF)

São procedimentos higiênicos, sanitários e operacionais aplicados a todo o fluxo de produção, desde a obtenção dos ingredientes e matérias-primas até a distribuição do produto final. O objetivo é o de garantir a qualidade, conformidade, e segurança do que é produzido com finalidade à alimentação animal (IN 04, MAPA).

As BPFs são aplicadas a:

  • Instalações, equipamentos e utensílios;
  • Limpeza, desinfecção e lubrificação;
  • Higiene pessoal;
  • Matérias-primas, ingredientes e embalagens;
  • Prevenção à contaminação cruzada;
  • Água;
  • Documentos e registros;
  • Controle de produção; e
  • Qualidade.

Hoje, para que uma fábrica seja liberada pelo MAPA para a produção de rações, premixes, núcleos e outros ligados ao setor, necessita ser aprovada na Instrução Normativa 04 (IN 04) para iniciar suas atividades.

Vale a pena mencionar todo cuidado exigido nas linhas de produção. Além do sequenciamento (ordem em que as rações são produzidas) que evita ou reduz contaminação cruzada, é preciso estar atento também para uma boa limpeza na linha e posterior desinfecção.

6 – Treinamento e capacitação de Recursos Humanos

Fundamental para o processo, são as pessoas que fazem a diferença. Não bastam instalações, equipamentos, automação, matérias-primas de primeira qualidade se não houver pessoas para operacionalizar o sistema de fabricação e de controles. É necessário que haja profissionais qualificados e treinados para cada função dentro do processo produtivo, bem como pessoas na área de manutenção e apoio.

A constante modernização de instalações, equipamentos  e automação das fábricas, exige cada vez mais que a equipe esteja qualificada. Para tanto, ideal é promover treinamentos e atualizações para reciclar o conhecimento da equipe que vai atuar na fabricação de ração.

Controle e processos adequados para obtenção da qualidade

Os corretos procedimentos dentro da cadeia produtiva são fundamentais para a fabricação dos alimentos para animal de estimação e de produção. É importante ter os processos bem definidos, implantados e controlados para obter um produto final de acordo com os resultados esperados pelos clientes.

Para garantir que esses processos se tornem mais rentáveis, produtivos e seguros a contratação de profissionais com experiência no segmento de rações é importante neste momento. Além disso, a utilização de aditivos para nutrição animal auxiliam no combate a microrganismos que podem comprometer a qualidade da matéria-prima e, consequentemente, da produção.

Não só a fabricação precisa de cuidados mas o transporte da ração também precisa de desinfecção para não ser um disseminador de contaminação.

Compartilhe:

Jorge Kracker - Zootecnista especialista em avicultura e processos fabris de ração, Gerente Técnico da Divisão Animal - BTA Aditivos

Veja mais posts do autor
voltar ao topo

Assine a nossa newsletter

Fique tranquilo, não compartilhamos seu e-mail e você pode cancelar sua assinatura quando quiser, com apenas um clique!

Matriz: Xanxerê/SC • +55 (49) 3199-1646

Rua Carlos Emilio Hacker, nº 260 | Linha São Sebastião | Interior | 89820-000

Escritório Comercial: Jaraguá do Sul/SC • +55 (47) 3055-2764

Rua João Marcatto, nº 260 | Sala 401 | Centro | 89251-670

Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível. Ao continuar a navegar no site, você concorda com esse uso. Para mais informações sobre como usamos cookies, veja nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

Aceito e continuar