BTA Aditivos - Add Innovation
BTA Aditivos - Add Innovation
PT EN ES
BTA Aditivos - Add Innovation
PT EN ES
Mar 03 2022

O que é o Sistema CIP de limpeza

Nas indústrias, a limpeza CIP é um dos procedimentos mais usados para proporcionar a higienização dos ambientes de forma rápida, segura e eficiente. Confira a seguir a importância de uma limpeza CIP apropriada e as particularidades deste tipo de higienização.

Manter uma planta industrial limpa é fundamental para assegurar a qualidade do que é produzido e evitar a presença de microrganismos que possam prejudicar a produção e a saúde dos consumidores. Para que isso aconteça, essa limpeza precisa ser completa e minuciosa. Nas indústrias, a limpeza CIP é um dos procedimentos mais empregados, pois minimiza eventuais falhas humanas no procedimento, garantindo a eficiência na higienização dos sistemas. Além disso, é um procedimento dito sustentável do ponto de vista ambiental, pois é possível reutilizar os produtos químicos aplicados no procedimento quando se tem uma central CIP. Confira a seguir algumas vantagens do sistema CIP, sua importância e as particularidades deste tipo de higienização.

O que é o Sistema CIP

O método CIP ou Cleaning in Place, (em português – limpeza no local) -, é o nome dado para o processo de higienização industrial, utilizando a passagem ou a circulação dos produtos de limpeza sem a desmontagem prévia dos equipamentos. Nesse procedimento, todas as superfícies de contato são limpas, atingindo um padrão elevado de higienização. Esse tipo de limpeza é uma realidade em qualquer planta automatizada ou semiautomatizada e tem como objetivo a remoção da sujeira que causa manchas, gera odores e contaminações dos produtos.

Vantagens do sistema CIP

  • Diminui o impacto ambiental e os custos de operação;
  • Não há desmontagem dos equipamentos;
  • Resultados reprodutíveis;
  • Assegura os mais elevados níveis de segurança alimentar;
  • Garante a precisão no controle de líquidos;
  • Utiliza programas de limpeza predefinidos;
  • Preserva a segurança operacional;
  • Método mais viável para tanques grandes, tubulações, trocadores de calor e concentradores;
  • Otimiza o tempo e disponibilidade de produção.

Etapas do processo de limpeza CIP

Entretanto, para que a limpeza CIP atinja os resultados esperados, o procedimento em si, deve ser feito de maneira correta. No entanto, o processo de limpeza pode variar de acordo com a planta processadora (alimentos, bebidas e laticínios, por exemplo). Geralmente a limpeza CIP inclui as seguintes etapas:

  • Pré-lavagem com água para remover a sujeira grossa;
  • Lavagem da planta com um detergente alcalino ou detergente ácido;
  • Enxágues intermediários para remoção dos resíduos de detergentes;
  • Aplicação de desinfetante para controle microbiológico;
  • Enxágue final.

É importante ressaltar algumas particularidades em cada uma dessas etapas:

  • Pré-enxágue: O intuito de utilizar o pré-enxágue é a remoção de sujidades grosseiras. Recomenda-se o uso de temperatura entre 40 a 45 °C para evitar a solidificação do alimento.
  • Limpeza alcalina: O detergente alcalino circula por todo o sistema, na concentração pré-determinada (geralmente 2% nas indústrias alimentícias) e a temperatura recomendada é de até 80 °C, para saponificar as gorduras e dissolver as proteínas.
  • Enxágues intermediários e final: A água passa pelo sistema na temperatura até 40 °C. Esse enxágue possui a finalidade de extrair a maior parte do produto residual oriundo da etapa da limpeza alcalina ou ácida. Resíduos de detergentes podem diminuir o efeito do agente ácido a partir das reações de neutralização dos produtos (reações ácido/bases).
  • Limpeza ácida: Deve ser feita com água quente, entre 60 a 65 °C com aplicação de detergente ácido. A limpeza ácida é feita para a remoção de possíveis resíduos minerais. A qualidade físico-química e microbiológica da água deve ser garantida, principalmente para a desinfecção e enxágue final.
  • Desinfecção: Deve ser feita pouco tempo antes do reinício da produção, no mesmo dia ou no dia seguinte, ou repetida após uma noite de parada. Esta fase requer água circulando pelo sistema em uma temperatura ambiente e tem o objetivo de garantir o controle microbiológico das superfícies para as próximas produções.
  • Lavagem final: O enxágue final, propriamente dito, consiste na passagem de água pelos equipamentos e tubulações com a circulação de água dentro dos padrões de qualidade.

A higienização pode ser feita pouco tempo antes do reinício da produção, no mesmo dia ou no dia seguinte. É importante mencionar que, para uma boa limpeza, o planejamento é essencial. Considerando esse aspecto, o círculo de Sinner ajuda a elucidar de forma rápida e simples os fatores que estão envolvidos para alcançar níveis de eficiência elevados de limpeza. De maneira geral, os quatro elementos do círculo do Sinner podem ser visualizados na figura abaixo:

A ação química, ação mecânica, temperatura e tempo devem estar presentes no processo. Se algum destes elementos precisar ser reduzido, um outro ou outros devem ser aumentados para fazer a compensação do círculo e manter uma limpeza eficiente.

Atuação dos agentes de limpeza

Os detergentes são utilizados como agentes de limpeza no processo por CIP. Os mais utilizados para esta finalidade são os alcalinos, ácidos e enzimáticos. Os detergentes alcalinos geralmente contêm hidróxido de sódio, e normalmente são utilizados nas concentrações de 0,5% a 4%. Esse tipo de solução é muito eficiente para remoção de gorduras e proteínas, além de outros compostos orgânicos. Além disso, dependendo da necessidade, detergentes ácidos também podem ser utilizados, usualmente nas concentrações de 0,5% a 2%. Os detergentes ácidos - contendo ácidos fosfórico e ácido nítrico, por exemplo - são aplicados na remoção de incrustações inorgânicas, em temperaturas mais baixas que os detergentes alcalinos. Devem ser usados com muita cautela para não atingir as válvulas e as vedações das bombas, pois podem ser causadores de corrosão.

Vantagens do uso de detergentes alcalinos e ácidos:

É importante considerar que, independentemente do detergente utilizado, é fundamental que esses apresentem uma boa efetividade para a remoção das sujidades, além de não formarem espuma. Além disso, um dos principais requisitos para uso desses detergentes é que eles não causem corrosões, evitando assim, desgaste e possíveis rompimentos de equipamentos ou tubulações.

Utilização de desinfetantes no sistema CIP

Embora o uso de detergentes proporcione uma redução nos níveis de contaminação antimicrobiana, na maioria das vezes o uso de desinfetantes é recomendado para uma limpeza mais eficiente atendendo os requisitos de legislações e órgãos vigentes.

Durante a aplicação dos desinfetantes, a temperatura da aplicação deve ser controlada durante todo o tempo do processo. O tempo de desinfecção dependerá da substância ativa e dos adjuvantes da formulação. Para atingir este objetivo, alguns desinfetantes contendo hipoclorito, dióxido de cloro, quaternários de amônio, peróxido de hidrogênio e ácido peracético podem ser utilizados.

O processo CIP convencional, em fábricas de processamento alimentar, pode envolver muitos ciclos. Alguns elementos podem ainda ser limpos diariamente com ciclos “curtos”, apenas com produto alcalino, e uma vez por semana aplicar o ciclo completo. No entanto, qualquer recomendação sobre estes processos exige o conhecimento e a análise de um técnico. Nossos especialistas estão prontos para auxiliar nos programas de higienização mais indicados para a realidade de cada planta fabril.

Nas plantas industriais o controle sanitário, tecnologias e produtos eficientes fazem parte do pacote de ações no combate às contaminações. Confira alguns importantes desafios dos processos de higienização nas indústrias alimentícias.

Compartilhe:

Celice Tamanini - Jornalista com MBA em Marketing Digital e Analista de Comunicação e Marketing na BTA Aditivos.

Veja mais posts do autor

Gabriel Toneto Druzian - Químico licenciado, mestre e doutor em ciências, com ênfase em química analítica. Pesquisador na área de Pesquisa e Desenvolvimento da BTA Aditivos.

Veja mais posts do autor
voltar ao topo

Assine a nossa newsletter

Fique tranquilo, não compartilhamos seu e-mail e você pode cancelar sua assinatura quando quiser, com apenas um clique!

Matriz: Xanxerê/SC • +55 (49) 3199-1646

Rua Carlos Emilio Hacker, nº 260 | Linha São Sebastião | Interior | 89820-000

Escritório Comercial: Jaraguá do Sul/SC • +55 (47) 3055-2764

Rua Jacob Buck, nº 105 | Centro | 89251-160

Controle sua privacidade

Nosso site usa cookies para melhorar a navegação. Clique em "Minhas opções" para gerenciar suas preferências de cookies.

Minhas Opções Aceito

Quem pode usar seus cookies?

×

Cookies Necessários (1)

São essenciais pois garantem o funcionamento correto do próprio sistema de gestão de cookies e de áreas de acesso restrito do site. Esse é o nível mais básico e não pode ser desativado.
Exemplos: acesso restrito a clientes e gestão de cookies.mais detalhes ›

Linketin Insight Tag

Cookies para um bom funcionamento (2)

São utilizados para dimensionar o volume de acessos que temos, para que possamos avaliar o funcionamento do site e de sua navegação.
Exemplo: Google Analytics.mais detalhes ›

Google Analytics - estatística básica

Shareaholic

Cookies para uma melhor experiência (3)

São utilizados para oferecer a você melhores produtos e serviços.
Exemplos: Google Tag Manager, Pixel do Facebook, Google Ads.mais detalhes ›

Search console

Google Tag Manager

Facebook Pixel